skip to Main Content
51 9.9983-0283 51 3466.5531 espacobambui@gmail.com R. Brasil 680, Canoas RS Facebook

Entendendo em profundidade as Ordens do Amor das Constelações Familiares

São “Leis Naturais” que incidem mesmo que não tenha ocorrido qualquer assentimento prévio de vontade. Do mesmo modo que a “Lei da Gravidade” impera em nossas vidas, assim também acontece com as “Ordens” descobertas por Bert Hellinger. Elas estão em plena atividade e alcançam a todos.

Foram descobertas por Bert Hellinger 3 leis universais que agem sobre todos os sistemas: a lei da ordem, do equilíbrio e do pertencimento. Elas agem mesmo quando desconhecemos sua existência e seu conteúdo, devem ser respeitadas para que haja harmonia dentro do sistema.

Se você busca atendimento em Constelações Familiares, seja em Grupo ou Individual, entre em contato conosco!

Veja também os Workshops de Constelações Familiares em Grupo em Canoas.

1 – Lei do Pertencimento

A primeira é a Lei do Pertencimento, segundo a qual cada grupo social se mantém vinculado, em decorrência de suas crenças, mantidas pelas normas e pelos vínculos entre os membros:

Hellinger percebeu que cada pessoa está comprometida com o destino do grupo; todo indivíduo está, acima de tudo, muito mais a serviço do seu sistema, do que a serviço do seu próprio querer. (…) também percebeu que quando atuamos em sintonia com o sistema ao qual pertencemos, nossa consciência fica tranquila. Por isso muitas vezes fazemos algo que perante os outros parece totalmente mau, totalmente errado. Entretanto, isso foi feito de “consciência tranquila”, porque quando agimos “igual”, tendo as mesmas atitudes, vivenciando os mesmos valores, nos sentimentos pertencentes e seguros.

Cabe ainda ressaltar que a alma do grupo não tolera exclusões e todos os membros do sistema tem igual direito ao pertencimento. Quando algum membro é excluído do grupo, algum outro membro da família toma seu lugar de modo inconscientemente, vindo a repetir seu padrão. Por exemplo, aqueles que foram vítimas de atos violentos, como estupro, homicídio, latrocínio, perpetrados por membros de uma família, assim como os membros de uma família que foram vítimas de crimes, principalmente, no caso de homicídio, é necessário ter-se a compreensão de que os assassinos também fazem parte do sistema familiar. Caso esse ou esses assassinos sejam excluídos ou rejeitados, em alguma geração serão representados por membros familiares, em decorrência do pertencimento à consciência coletiva.

1 – Lei da Precedência

A segunda é a Lei da Precedência, onde aqueles que chegaram antes, cronologicamente, prevalecem sobre os que chegaram depois. Nessa lei os mais velhos são hierarquicamente superiores aos mais novos. Esta lei define que aquele que entra primeiro em um sistema, tem a prevalência e exerce direitos sobre os que entraram depois, pois dentro de um sistema existe uma hierarquia, uma ordem a ser respeitada e cada um tem o seu lugar, contribuindo para a evolução do mesmo, se estiver no lugar que lhe cabe.

A Ordem é estabelecida pela hierarquia. Descrevemos essa lei da seguinte forma: Quem chegou primeiro, chegou primeiro, quem chegou depois, chegou depois. E nada que venha depois desse ponto final, altera a ordem.

Quando há ruptura da ordem, os posteriores se sentem compelidos a atuar como se fossem melhores que os anteriores, como se diante de situações vivenciadas por esses últimos, houvessem eles mesmos tomado decisões e atitudes “melhores” ou “mais acertadas”.

Hellinger também viu que aqueles que estão mais abaixo na ordem hierárquica, por exemplo, os filhos, não devem se meter nos assuntos dos antecessores.

Todavia quando a hierarquia não é respeitada e a Lei da Precedência é violada, o sistema sofre disfunções graves. Caso alguém não ocupe seu lugar, isso implicará em desordem na sua própria vida e na vida dos outros membros do sistema, e para restabelecer o equilíbrio, é preciso que cada um respeite e tome o seu lugar.

Os relacionamentos humanos têm grande chance de êxito quando em sintonia com esta ordem que a tudo abarca e, como dito, precede. Portanto, só o amor não basta. É necessário estar em concordância com esta Ordem.

3 – Lei do Equilíbrio

A terceira, é a Lei do Equilíbrio. Trata-se do equilíbrio entre o DAR e o RECEBER e está a serviço da troca nas relações. Necessitamos manter esse equilíbrio em nossas relações, pois é no equilíbrio entre o DAR e RECEBER que uma relação encontra harmonia.

As contas familiares e sociais também precisam estar equilibradas, incluindo as partilhas, heranças, dotes; os favorecidos e desfavorecidos; as injustiças. Também fazem parte da família aqueles que tomam o lugar dos que morreram e partiram. Num ‘livro de contas familiar’, é necessário que se mantenha em dia os créditos e débitos, as obrigações e méritos dos membros, sem o que, de geração em geração, se pode ter uma série de problemas.

Assim, toda Alma deseja retribuir aquilo que lhe é ofertado e quando o faz, sempre dá um pouco mais, pois o desejo de retribuir é uma constante em nossa vida. Sentir-se em débito com ou sentir-se credor são movimentos naturais de nossa alma, fazendo com que fiquemos vinculados ao sistema.

Back To Top