skip to Main Content
51 9.9983-0283 51 3466.5531 espacobambui@gmail.com R. Brasil 680, Canoas RS Facebook
Tudo Sobre óleos Essenciais

Tudo sobre óleos essenciais

Benefícios terapêuticos, fragrâncias e limpeza doméstica! Os óleos essenciais são substâncias lipossolúveis extraídas diversas partes de plantas que possuem, sobretudo, essas três principais funções. No Egito Antigo, o seu principal uso referia-se à higienização e purificação do ambiente.

Por exemplo, sabe aqueles aromatizadores de lavanda que você encontra em determinadas sessões do mercado? Então, este é um belo exemplo de óleo essencial! No entanto, existem diversos outros benefícios atribuídos a essa substância. Quer saber mais sobre eles? Dá uma olhada!

Origens dos óleos essenciais

O estudo terapêutico dos óleos essenciais é conhecido de longa data, já nos primórdios da medicina ayurvédica e chinesa. Grécia e Egito também documentaram usos ritualísticos de OE para saúde e espiritualidade, oferecendo-os aos deuses. Na história do cristianismo, é tamanha a importância dos aromas, que incenso e mirra são utilizados como presentes ao menino Jesus. 

Nos séculos XVI e XVII a terapia com aromas se propagou com o início das bases científicas. Na década de 1920, em meio ao boom da indústria farmacêutica, o químico francês René Gattefossé usou o termo aromaterapia pela primeira vez, estudando o potencial curativo dos óleos essenciais.

René-Maurice Gattefossé (1881 - 1950)
René-Maurice Gattefossé (1881 – 1950)

Diferença entre óleos essenciais e óleos vegetais

Pertencentes ao grupo de ácidos graxos, os dois tipos de óleos possuem propriedades básicas semelhantes (ambos são extraídos de vegetais), mas com composições e usos totalmente diferentes.

Tudo sobre óleos essenciais 1

Em outras palavras, enquanto os óleos vegetais são amplamente utilizados na culinária (como o óleo de soja, de milho, de girassol e por aí vai) e, de fato, fazem parte de uma alimentação diária saudável (como os três tipos ômegas), os óleos essenciais são caracterizados pelo seu aroma acentuado e jamais devem ser aplicados na gastronomia – exceto em certas misturas de chás.

Outra diferença é quanto às suas cadeias moleculares. A grande maioria dos óleos vegetais possui cadeias mais longas e “pesadas” e o líquido caracteriza-se por ser mais viscoso. Já os óleos essenciais são compostos por cadeias menores e mais “leves”, apresentando propriedades mais voláteis e sendo muito menos espessos. Além disso, normalmente os óleos essenciais são extraídos de caule, folhas, flores e raízes dos vegetais, enquanto os óleos vegetais provêm dos frutos e das sementes.

Aromaterapia é um dos principais termos associado aos óleos essenciais

Afrodisíacos, analgésicos, antidepressivos, respiratórios… Existem várias funções e propriedades terapêuticas ligadas a um dos ramos que usa os óleos essenciais, conhecido como aromaterapia. Essas essências extraídas de plantas e flores, por serem extremamente concentradas, muitas vezes são utilizados em compressa ou com doses extremamente específicas.

Alguns estudos defendem que os óleos essenciais são um tipo de medicina alternativa, e cada um deles possui uma função benéfica para o corpo humano – seja física ou emocional – e, por isso, é muito comum vê-los em casas de massagens, spas e afins. Os seus usos envolvem terapias holísticas, massagens corporais, banhos e até práticas de cura (em certos rituais religiosos), podendo ser utilizados por inalação (maneira mais rápida e comum), aplicação tópica e ingestão.

Óleos essenciais podem ser utilizados na limpeza da casa

Além de deixarem o ambiente superperfumado, essa substância pode ser usada para desinfetar superfícies (por terem propriedades antibacterianas naturais, como o óleo de lavanda, por exemplo), desengordurar a cozinha (com o óleo essencial de limão), remover o mofo de azulejos do banheiro (com o óleo de melaleuca) e até limpar escovas de cabelo (com o óleo de eucalipto).

De maneira geral, eles são misturados com quantidades específicas de vinagre branco ou bicarbonato de sódio (dependendo do tipo de óleo que for utilizado) e borrifados nas áreas em que se deseja realizar a limpeza. São métodos simples, eficazes, e, claro, superaromáticos.

Qual a diferença entre essências florais, tinturas e óleos essenciais?

São três produtos diferentes:

  • Óleos essenciais: Um óleo essencial é um extrato retirado de grandes quantidades de flores ou de outras partes da planta. Os óleos têm um aroma muito forte e por isso podem ser utilizados em Aromaterapia. Aromaterapia é uma modalidade alternativa de cura que se utiliza do aroma de perfumes e óleos essenciais para promover a cura.
  • Tinturas de ervas: Tinturas são extratos de diferentes partes da planta. Folhas, raízes, caules e, algumas vezes flores, são retirados das plantas. Essas partes são utilizadas desidratadas ou frescas e seus óleos e outros componentes são extraídos através da utilização do calor ou de álcool. As tinturas atuam nos sintomas do corpo físico. Grande parte da farmacologia moderna constitui uma versão sintética dos extratos das plantas.
  • Essências florais: Uma essência floral não tem aroma, perfume ou componente químico da planta. É uma impressão da força vital da planta cujas vibrações sutis não são percebidas pelos cinco sentidos. Uma das mais tradicionais são os Florais de Bach.

Diferença entre óleos essenciais e essências

Essa é uma dúvida comum onde muitas pessoas acabam adquirindo essências sintéticas e utilizando como sendo óleos essenciais.

Óleos essenciais são puros, completamente naturais, extraídos de plantas, flores, frutos, resinas, cascas e raízes de plantas. Eles são uma mistura complexa de componentes químicos com propriedades medicinais. Na aromaterapia os óleos essenciais agem na transformação de sentimentos e na regulação de funções orgânicas no nosso corpo, além de agir vibracionalmente também, trazendo integração para quem os utiliza.

As essências não possuem essa capacidade. No Brasil o termo essência normalmente se refere aos produtos sintéticos que imitam os aromas naturais. Por não possuir a complexidade de moléculas de um óleo essencial, normalmente o seu aroma é mais simples, digamos assim, sem as nuances e o desenvolvimento de aromas que há em um óleo essencial. São produtos artificiais. Elas imitam o aroma dos óleos essenciais, e não fazem nada mais. Não possuem benefícios terapêuticos.

As essências sintéticas não devem em hipótese alguma substituir os óleos essenciais em formulações terapêuticas. Elas não terão efeito benéfico, podendo ainda causar problemas de irritação e alergia.

Como saber se é um óleo essencial original?

  • Cuidado com o rótulo de aromaterapia geral, muitas vezes batido em óleos diluídos atados a fragrâncias sintéticas.
  • Procure óleos 100% puros e orgânicos, livres de cargas, pesticidas e produtos químicos sintéticos.
  • Se um rótulo indicar qualidade terapêutica ou destilação a vapor, melhor ainda.
  • A maioria dos óleos essenciais tem vida útil longa – mais de um ano se armazenados em local fresco e seco. Se a loja em que você estiver quente ou úmida, compre em outro lugar.

Benefícios dos Óleos Essenciais

Além dos benefícios físicos e emocionais quando utilizados na aromaterapia, os óleos essenciais também possuem aplicações medicinais excepcionais.

Muitos óleos essenciais são antissépticos e estão entre os mais potentes protetores da natureza contra as bactérias e outros organismos infecciosos.

Os óleos essenciais possuem uma ampla gama de propriedades curativas, podendo ser utilizados de forma eficaz para manter a saúde, estimulando a regeneração celular, aliviando dores, equilibrando as disfunções emocionais, e combatendo bactérias, fungos e outras formas de infecções. Além de proporcionar alívio do estresse, aumento de energia e aumento da concentração mental.

Os óleos essenciais têm uma lista quase interminável de usos terapêuticos, e a ciência continua a descobrir mais sobre eles a cada ano.

Como usar óleos essenciais

Há vários modos de seu usar óleos essenciais: massagens, banho de imersão, compressas, inalações, escalda-pés… Veja algumas dicas de como usar os óleos:

Massoterapia

Tudo sobre óleos essenciais 2

Escolha o óleo vegetal de acordo com seu tipo de pele, e até 3 óleos essenciais de acordo com a finalidade desejada.

Para 30 ml (3 colheres de sopa) de óleo vegetal, que é o suficiente para aplicação no corpo todo, adicionar até 20 gotas de óleo essencial.

Se preferir pingue os óleos essenciais diretamente no frasco da base vegetal ou loção (120 ml) adicionar até 60 gotas de óleo essencial.

Banho de Imersão (Banheiras)

Num recipiente diluir os óleos essenciais em óleos vegetais de sua preferência ou álcool de cereais:

1 colher (sopa) de óleo vegetal ou de álcool, adicionar de 5 a 10 gotas de óleo essencial. Pode-se misturar até 3 tipos de óleos essenciais.

Compressas

Pingar de 5 a 6 gotas de óleo essencial em1 litro de água quente ou fria dependendo do caso.

Inalações

Colocar de 3 a 5 gotas de óleo essencial em um recipiente com água quente, cobrir a cabeça com uma toalha e fechar ou proteger os olhos com uma máscara apropriada. Inalar o vapor por alguns minutos.

Aromatização Ambiental

Aromatizadores elétricos, “Rechauds” cerâmico com vela ou Sprays ambientais. Par um ambiente de 20 m2 coloque um pouco de água e pingue de 10 a 20 gotas de um mesmo óleo essencial ou até 3 no total.

Spray ambiental (ou para passar roupa)

No Spray (use por exemplo um pulverizador de plantas) coloque 3 colheres de sopa de álcool (se tiver de cereais melhor) ou vodka, para diluir e adicione até 120 gotas dos óleos essenciais desejados e complete com água, agitar muito bem antes de usar.

Banho de Chuveiro

Uma maneira simples e eficiente é pingar até 5 gotas do óleo essencial no canto do box do chuveiro e inalar durante o banho.

3 gotas em 1 colher de sopa de óleo vegetal e distribuir por todo o corpo através de auto massagem.

Enxague final do banho, em um recipiente pingar ate 5 gotas de óleo essencial que não irritam a pele, completar com água do chuveiro e jogar no corpo.

Escalda-Pés

Diluir 6 gotas do óleo essencial em 1 colher (chá) de óleo vegetal ou álcool de cereais.

Adicionar em 4 litros da água quente no inverno e água fresca no verão.

Principais óleos essenciais e suas aplicações

1. Lavanda (Lavandula officinalis)

O doce aroma da lavanda é provavelmente um dos óleos essenciais mais famosos e reconhecidos de todos. Esse óleo vem sendo usado há milhares de anos por culturas em todo o mundo.  Segundo os registros históricos, os primeiros povos a utilizarem esse óleo foram os gregos e os romanos. A lavanda pode ser utilizada para as seguintes finalidades:

  • Redução do estresse – A inalação da lavanda pode ajudar a reduzir os níveis de estresse físico e mental;
  • Insônia – Ajuda a melhorar a qualidade do sono se for inalada e se forem feitas aplicações tópicas;
  • Pressão arterial – Um estudo de 2017 constatou que a lavanda reduziu a pressão arterial após uma cirurgia cardíaca, enquanto que um estudo de 2015 também constatou benefícios para a pressão arterial;
  • Repelente de insetos – Embora o aroma seja agradável para os seres humanos, os insetos não gostam dele;
  • Mordidas de insetos – Ajuda a minimizar o risco de infecção e reduz a coceira quando aplicada no local afetado;
  • Queimaduras leves – Ajuda a reduzir a dor das queimaduras. Aplique diretamente ou misture com óleo de coco;
  • Eczema – Aplique diretamente sobre a pele seca ou misture com óleo de coco para aliviar os sintomas;
  • Náusea – Ajuda a amenizar os efeitos das náuseas. Coloque uma gota atrás das orelhas ou pingue uma gota na boca ou em um copo com um pouco de água;
  • Acne – Aplique na área afetada para ajudar a evitar o agravamento da acne;
  • Analgésico – Ajuda a aliviar dores musculares e articulares quando é aplicada durante uma massagem;
  • Alívio da dor durante uma cirurgia – Estudos demonstram que o uso da lavanda reduz a dor durante a cirurgia;
  • Síndrome do Túnel do Carpo – Um estudo de 2017 no periódico Journal of Hand Therapy constatou que a lavanda reduzia a dor com aplicações tópicas;
  • Crescimento capilar – Estudos com modelos animais constatam que o óleo de lavanda pode estimular o crescimento capilar;
  • Digestão – Auxilia no processo digestivo.

O óleo essencial de lavanda se mistura bem com os óleos de cravo-da-índia e de alecrim.

2. Alecrim (Rosmarinus officinalis)

O alecrim é uma erva comum que é frequentemente cultivada em jardins. Foi constatado que essa erva tem muitos benefícios para a saúde e, de acordo com um artigo publicado no New York Times, o alecrim tem um papel importante na alimentação de uma das populações mais saudáveis e mais velhas do planeta: as pessoas que residem em Acciaroli, na Itália. O alecrim pode ser utilizado para as seguintes finalidades:

  • Memória – Um estudo de 2017 concluiu que “a inalação do óleo essencial de alecrim melhorou a memorização de números”;
  • Trauma cranioencefálico (TCE) – Um estudo de 2016 com animais constatou melhora na função cerebral em indivíduos feridos;
  • Queda de cabelo – Um estudo de 2015 constatou mais crescimento capilar quando eram feitas aplicações tópicas do alecrim no couro cabeludo. No entanto, demorou seis meses para a diferença ser notada;
  • Infecções das vias respiratórias superiores – A inalação de uma mistura de ervas com alecrim atenua os sintomas da infecção;
  • Espasmos musculares – O óleo essencial ajuda a relaxar os músculos quando é usado durante uma massagem;
  • Proteção antioxidante – O alecrim é um potente antioxidante, de acordo com estudos;
  • CUIDADO: Algumas pessoas podem ser sensíveis a esse óleo essencial e algumas tiveram reações na pele.

O alecrim se mistura bem com os óleos de lavanda e de hortelã-pimenta.

3. Melaleuca (Melaleuca alternifolia)

Este óleo essencial é obtido das folhas da árvore do chá, encontrada principalmente na Austrália.  O aroma do óleo de melaleuca é descrito como medicinal e refrescante. O óleo de melaleuca tem muitos benefícios:

  • Antifúngico – Estudos demonstraram que esse óleo tem propriedades antifúngicas. Eu aconselhei muitas vezes o uso dele para os pacientes que procuram um tratamento de primeira linha da micose de unha.  Recomendo aplicar uma a duas vezes por dia na unha. Tenho visto bons resultados quando é aplicado de forma consistente.  O óleo também pode ser aplicado na pele para ajudar a tratar o pé-de-atleta, conhecido pelos médicos como tinea pedis;
  • Antibacteriano – Um estudo de 2017 em camundongos constatou que a inalação do óleo de melaleuca pode ser útil para combater a pneumonia.  São necessárias mais pesquisas antes que seja utilizado em pessoas para este fim;
  • Um estudo de 2017 realizado em Roma, na Itália, constatou que enxaguar a boca com óleo de melaleuca era bom para quem tinha inflamação provocada pela gengivite;
  • Cicatrização – Aplique no local afetado para ajudar a evitar infecções;
  • Ajuda a controlar a caspa – Aplique diretamente no couro cabeludo para ajudar a reduzir a caspa;
  • Repelente – Quando aplicado na pele, ajuda a afastar os insetos.

O óleo de melaleuca se mistura bem com os óleos de lavanda e de mirra.

4. Limão (Citrus limonum)

O aroma do limão é muito familiar: ao mesmo tempo doce e azedo. Esse óleo essencial tem muitas utilidades. É amplamente utilizado em produtos de beleza devido às suas propriedades antioxidantes.

  • Indigestão – Ingerido com um copo d’água, pode estimular o processo digestivo;
  • Repelente – Quando aplicado na pele, ajuda a afastar os insetos;
  • Desinfetante – Misturado com água, pode ser usado para limpar suavemente as superfícies;
  • Dor de garganta – As propriedades antioxidantes ajudam a matar os vírus presentes na garganta;
  • Cuidados com a pele – Misturado com óleo de coco e aplicado à pele, ele ajuda a proteger contra a oxidação.            

O limão se mistura bem com o óleo de eucalipto.

5. Hortelã-pimenta (Mentha piperita)

A hortelã-pimenta é uma erva e um óleo essencial bem conhecido. Na realidade, trata-se de um híbrido da hortelã-da-água e da hortelã-comum. Seu aroma é forte e fresco, e um de seus principais componentes é o mentol.  Ultimamente ela tem sido usada como aromatizante em gomas de mascar. A hortelã-pimenta é nativa da Europa e tem inúmeros benefícios para a saúde.  

  • Síndrome do intestino irritável (SII) – O óleo de hortelã-pimenta ajuda a atenuar os sintomas em pacientes com SII;
  • Dor de cabeça – Pode ajudar a aliviar cefaleias de tensão;
  • Aromatizante alimentar – Pode ser adicionada a alimentos para dar um toque a mais de sabor;
  • Infecção de unha – Aplicada diretamente no local afetado, ela pode ajudar a combater as infecções fúngicas;
  • Infecção da pele – Um estudo de 2012 demonstrou proteção contra infecções da pele;
  • Infecção das vias respiratórias superiores – A inalação de uma mistura de ervas com hortelã-pimenta atenua os sintomas da infecção;
  • Coceira provocada pela gravidez – Aplicada diretamente na pele, a hortelã-pimenta ajuda a atenuar a coceira provocada pela gravidez, segundo estudos. Evite o consumo por via oral;
  • Eczema – A aplicação tópica ajuda a atenuar a irritação da pele;
  • Crescimento capilar – Um estudo de 2014 publicado em Toxicological Research demonstrou que, com aplicações tópicas da hortelã-pimenta, ela era capaz de ajudar com o crescimento capilar.

A hortelã-pimenta se mistura bem com os óleos de lavanda, de alecrim e de eucalipto.

6. Eucalipto (Eucalyptus globulus, Eucalyptus sideroxylon e Eucalyptus  torquata)

O eucalipto é nativo da Austrália, onde os aborígenes têm usado essa planta para ajudar a tratar sinusites, infecções respiratórias e dor.  Evite o consumo do óleo por via oral.  

  • Infecção das vias respiratórias superiores – A inalação de uma mistura de ervas com eucalipto atenua os sintomas da infecção, segundo estudos;
  • Antibacteriana – Um estudo de 2012 demonstrou sua capacidade de proteção contra infecções bacterianas da pele quando eram feitas aplicações tópicas;
  • Antifúngico – O eucalipto pode matar fungos quando é aplicado diretamente no local afetado;
  • Propriedades antitumorais – Estudos constatam que o eucalipto é capaz de matar células tumorais em laboratório;
  • Desodorante natural – Aplique diretamente nas axilas.  

O eucalipto se mistura bem com os óleos de lavanda e de limão.

7. Cravo-da-índia (Syzygium aromaticum)

Obtido do craveiro, o cravo-da-índia é nativo do Sudeste Asiático e da Indonésia e tem inúmeros benefícios para a saúde, de acordo com um estudo de 2014. Confira alguns dos benefícios:

  • Propriedades antibacterianas – Quando aplicado sobre as feridas, pode ajudar a prevenir a infecção;
  • Alívio da dor – Estudos demonstram propriedades de alívio da dor após a aplicação tópica nas articulações e nos músculos doloridos;
  • Dores de dente – Utilizado no século 13 para o alívio da dor;
  • Repelente – Quando aplicado na pele, ajuda a afastar os insetos;
  • Candidíase oral – O óleo de cravo-da-índia pode ser usado para tratar a candidíase oral.

8. Camomila (Anthemis nobilis)

A camomila é muito consumida como chá de ervas por quem quer ter uma boa noite de sono.   Ela tem um aroma doce e frutado. Como óleo essencial, ela também tem inúmeros benefícios para a saúde.

  • Ansiedade – tem um efeito calmante;
  • Depressão – um estudo com animais demonstra que a inalação de camomila tem efeitos antidepressivos;
  • Benefícios para alergias e asma;
  • Anti-inflamatória – aplique diretamente na área afetada;
  • Cicatrização de feridas – estudos constatam que a aplicação tópica ajuda a cicatrizar e a prevenir a infecção de feridas cutâneas;
  • Insônia;
  • Eczema – aplicação tópica;
  • Espasmos musculares – aplicação tópica.

A camomila se mistura bem com óleos de jasmim e de rosa.

9. Franquincenso (Boswellia carterii) 

Talvez mais conhecido como um presente dado pelos Três Reis Magos, o franquincenso era usado com frequência em perfumes.  Ele tem um aroma balsâmico e amadeirado. Hoje em dia ele é comumente utilizado em cerimônias religiosas, inclusive as da Igreja Católica. O franquincenso também é conhecido como boswellia para os indianos e africanos, que o utilizam para fins medicinais, e era comercializado na Somália há 5.000 anos. Ele tem os seguintes benefícios para a saúde:

  • Previne infecções fúngicas – Estudos demonstram que o franquincenso pode matar a levedura patogênica;
  • Efeito calmante – Pode ajudar a acalmar a mente, especialmente na forma de aerossol;
  • Dores articulares – Estudos demonstram que a boswellia pode aliviar a dor associada à artrite reumatoide e à osteoartrite. Considere esfregar o óleo na articulação acometida ou tomar a boswellia como suplemento oral;
  • Asma – Ajuda a reduzir a inflamação em asmáticos, segundo estudos;
  • Doença de Crohn – A boswellia pode ser útil para pessoas com essa doença, de acordo com um estudo de 2001.

O franquincenso se mistura bem com os óleos de lavanda e de rosa.

10. Mirra (Commiphora mirra)

A mirra é um óleo essencial usado na Antiguidade e que também foi mencionado 152 vezes na Bíblia, no Antigo Testamento e no Novo Testamento. Além disso, na Índia, é frequentemente usada na medicina ayurvédica para tratar de dores nas costas e no corpo.

  • Antioxidante – Protege o corpo contra os danos da oxidação;
  • Propriedades antibacterianas;
  • Proteção antiviral;
  • Proteção antifúngica.

A mirra se mistura bem com os óleos de franquincenso, de gerânio e de cravo-da-índia.

11. Toranja (Citrus paradisi)  

A toranja originou-se em Barbados, uma ilha no Caribe. A toranja é um híbrido da laranja e do pomelo. A China é atualmente a maior produtora mundial de toranja, enquanto que os Estados Unidos são o segundo. O óleo essencial da toranja é extraído do fruto.

  • Estresse e ansiedade – Um estudo de 2017 publicado em Complementary Therapies in Medicine mostrou que as pessoas submetidas a uma colonoscopia sentiram menos ansiedade quando se utilizou o óleo essencial de toranja;
  • Acne – O óleo de toranja tem propriedades antimicrobianas, de modo que a aplicação tópica é uma ótima maneira de ajudar a limpeza da pele;
  • Feridas e queimaduras – Ajuda a proteger feridas e queimaduras contra infecções.

12. Orégano (Origanum vulgare)

O orégano é uma planta florífera originária do Mediterrâneo. Ele tem sido usado há séculos e tem inúmeros benefícios para a saúde.

  • Recomenda-se a aplicação tópica para fazer uso das propriedades anti-inflamatórias;
  • Doença cardíaca – Estudos mostram que evita aterosclerose ou entupimento das artérias;
  • Digestão – Ajuda com problemas digestivos;
  • Intestino permeável – Protege o intestino contra danos e ajuda a criar uma barreira intestinal saudável;
  • Propriedades antiparasitárias;
  • Protege contra o câncer;
  • Protege contra infecções fúngicas, de acordo com uma pesquisa publicada em Scientific Reports.

13. Gengibre (Zingiber officinale)

Esta erva é usada em alimentos, mas também como um óleo essencial. O gengibre tem muitos benefícios para a saúde.

  • Anti náusea – Muito utilizado por mulheres grávidas e pessoas submetidas a quimioterapia para ajudar a controlar as náuseas;
  • Alívio da dor – A aplicação tópica na articulação acometida tem propriedades anti-inflamatórias;
  • Efeito laxante – Ajuda a promover o trânsito intestinal.
Back To Top