skip to Main Content
51 9.9983-0283 51 3466.5531 espacobambui@gmail.com R. Brasil 680, Canoas RS Facebook

Curar Traumas familiares com a Constelação familiar

A constelação familiar é um método terapêutico que tem crescido e pretende ajudar na compreensão de problemas que acontecem em diferentes áreas da vida – seja na família, relacionamentos amorosos ou até no trabalho. Há, também, quem vá para tratar insônia, controlar a raiva ou simplesmente identificar a origem de uma angústia aparentemente sem motivo.

A Constelação Sistêmica Familiar é um método psicoterapêutico desenvolvido pelo alemão Bert Hellinger. A terapia se baseia em algumas leis universais que regem os sistemas humanos, como aceitar pai e mãe, incluir os excluídos, separar o que está misturado, quebrar padrões negativos repetitivos, dar e receber com equilíbrio, harmonizar o masculino e o feminino, honrar a família e ter permissão para seguir e ser feliz.

Entre em contato com o Espaço Bambuí para saber mais sobre os atendimentos individuais como também os eventos da Constelação Familiar em Grupo.

Qual é o objetivo da Constelação Familiar?

A ideia é identificar a origem de um comportamento ou sentimento que, muitas vezes, pode ter “nascido” em uma geração passada, uma espécie de “herança familiar emocional”. “A constelação familiar não substitui a terapia, ela ajuda a entender que você não herda só seu aspecto físico dos familiares, herda o emocional também”, explica Solange Bertão, psicóloga clínica e consultora em constelação.

Como acontece uma sessão de Constelação Familiar individual?

No atendimento individual da Constelação Familiar Sistêmica o trabalho terapêutico irá ajudar o cliente a trazer consciência dos sentimentos envolvidos em relação a um problema e também às possíveis ligações energéticas existentes com seu sistema familiar que mantém viva e presente uma situação problemática ou padrões desarmônicos na vida.

O método individual utiliza representações simbólicas para trabalhar o problema em questão, que podem ser pedras, peças de madeira, bonecos playmobill, folhas de papel, marcas no chão ou outros objetos para determinar os personagens ou sentimentos/sintomas envolvidos.

Imagem relacionada

A partir daí, o cliente é conduzido a uma breve meditação que o prepara para sentir o campo sistêmico da Constelação e perceber suas sensações internas, a partir da dinâmica que o facilitador vai conduzindo. O trabalho é bem sutil e silencioso e vai ajudando o cliente a reconhecer os pontos de exclusão no sistema trabalhado.

Neste ponto, quando é visto e reconhecido o ponto de exclusão, pode-se ocorrer uma liberação emocional (catarse) ou profunda compreensão (consciência), provocando assim a liberação dos fatores sistêmicos que provocaram determinado sintoma ou queixa do cliente.

Como funciona a Constelação Familiar em grupo?

Quando feita em grupo, a constelação junta pessoas que não se conhecem e que representam papéis da vida de quem está sendo “constelado”. Para participar, você diz seu problema e escolhe entre quem está na sala para representar todos os inseridos na situação.

Por exemplo, a questão é não conseguir casar. Para tentar entender de onde vem a trava emocional, pessoas são escolhidas para interpretar seus medos, antigos relacionamentos, seus pais, avós, etc. Assim que as pessoas convidadas recebem seus “papéis”, elas se posicionam ao lado de quem se relacionam no contexto, como se estivessem montando uma árvore genealógica da situação –tudo guiado pelo profissional responsável pela vivência. Quem rege a constelação pergunta sempre como cada “ator” se sente e qual sua vontade.

Nessa situação, o constelado vê que seu pai abandonou sua mãe, assim como seu avô abandonou sua avó, por exemplo. Com tantos términos na família, ele nota que se fechou para relacionamentos sérios.

Devo escolher o formato Individual ou Em Grupo?

A princípio, não há diferenças entre os dois formatos.

No grupo, você terá uma visão melhor da dinâmica das questões, pois observará as emoções, a energia e o sistema familiar atuando através dos outros participantes.

E mesmo que você venha a ser “apenas” um representante do sistema de outra pessoa do grupo, pode ter certeza que, mesmo dali, muitas respostas e entendimentos podem surgir.

Já na constelação individual, você precisa estar mais presente em cada emoção, pois você mesmo fará os papéis que, na constelação em grupo são feitos por outras pessoas. Assim, é uma vivência mais intensa, no sentido que você será mais exigido.

Mas é só uma atuação?

O método quer confirmar como os sentimentos de antepassados chegam até você. “Não é que você necessariamente vá cometer os mesmos erros, mas, sim, entender como você vai ser afetado pelo que aconteceu na família”, explica Dagmar Ramos, psicoterapeuta que aplica a constelação pelo Instituto Brasileiro de Soluções Sistêmicas.

Bert Hellinger o criador das Constelações Familiares

E não é apenas encenação. Quando você é escolhido como representante de alguém, se conecta com as energias daquele familiar. A tese dessa troca de energias é de Bert Hellinger, psicoterapeuta alemão, inventor da técnica.

Assim que o problema é identificado durante a representação, há uma espécie de reconciliação entre os “atores” para que a ordem seja restabelecida e o alívio apareça. Mas a compreensão nem sempre é sentida imediatamente, pode demorar meses e muita reflexão.

Quais os benefícios da Constelação Familiar?

  • relacionamento afetivo
  • relacionamento familiar
  • questões profissionais
  • traumas
  • problemas financeiros
  • doenças e sintomas físicos
  • problemas no relacionamento (afetivo – familiar – geral)
  • doenças, câncer, doenças crônicas
  • distúrbios alimentares como obesidade ou anorexia
  • vícios (drogas, alcoolismo, etc.)
  • medo, fobias, traumas, angústia, depressão
  • dificuldades financeiras e questões com herança, fracassos
  • desenvolvimento profissional
  • questões de fecundidade, abortos e adoção
  • questões empresariais
Back To Top