skip to Main Content
51 9.9983-0283 51 3466.5531 espacobambui@gmail.com R. Brasil 680, Canoas RS Facebook
Combatendo O Estresse Emocional E Profissional Com O Balanceamento Muscular

Combatendo o estresse emocional e profissional com o Balanceamento Muscular

O primeiro sistema orgânico afetado por ambos os tipos de estresse, seja emocional ou profissional é o intestino delgado. Este órgão é responsável por digerir tanto o alimento quanto os traumas emocionais. As consequências são um estômago tenso, dolorido, inflamado, obstipação, problemas pré-menstruais, entre outros. Daqui podem derivar problemas no fígado e bexiga.

O estresse emocional pode resultar de um relacionamento difícil, antecipação do fim de uma relação provocada por separação, divórcio, morte, afetando o coração, pericárdio e pulmões.

O estresse profissional resulta de um ritmo exigido pela necessidade de crescimento, expansão e sobrevivência financeira. Este exige de executivos e empresários que a força de trabalho estejam alerta durante mais tempo do que os seus ritmos biológicos permitem. Assim, além de fadiga causada pela constante drenagem de energia da força vital dos rins e das glândulas supra-renais, surge uma raiva e frustração que prejudicam o fígado.

Veja alguns dos efeitos do estresse no sistema simpático e parassimpático do corpo humano.

O que acontece no corpo após um certo período de estresse acumulado? 

O corpo emite sinais de advertência, variando de pessoa para pessoa consoante o equilíbrio energético, as tendências e condições físicas de cada um.

A respiração fica limitada devido à contração crônica dos músculos intercostais e diafragma, os músculos abdominais tensos, o intestino delgado duro e surge uma incapacidade de processar toxinas ou emoções negativas.

Também a pressa durante as refeições impede a digestão normal e aumenta a acumulação de toxinas. Por sua vez, a falta de movimento no abdômen impedirá o peristaltismo normal provocando obstipação.

Casos prolongados de raiva e qualquer sobrecarga do trabalho do fígado pode derivar num acumular de medo acompanhado de reações violentas.

Não podemos deixar que este estilo de vida moderno, sempre evolvidos em situações estressantes, nos prejudique a saúde. Há que transformar energia menos boa em energia positiva e transformar o estresse em vitalidade.

Balanceamento Muscular e o Estresse emocional

Carlos Lampert Filho é terapeuta e professor de Balanceamento Muscular.

Carlos Lampert Filho é terapeuta e professor de Balanceamento Muscular.

Todo estresse é a inibição de um peso que precisava ser libertado. Seja físico ou emocional, o estresse tem a mesma base, o mesmo significado e o mesmo comportamento. Podemos falar de dois tipos de estresse: o emocional e o físico. O estresse físico se dá quando suportamos um grande peso por muito tempo ou em continuamos um movimento quando o músculo já está cansado. Quando sente a dor da tensão, a pessoa abandona a atividade ou deixa o peso. No entanto, se não há maneira de eliminar o estresse, o músculo sofrerá um espasmo. Um músculo fica tenso apenas em situações de estresse. Quando um corpo se move facilmente, não sente fadiga.

Nosso sistema corpo/mente é um complexo integrado. O estresse emocional é similar ao físico: os músculos estão carregados de um peso que não podem liberar, contraem-se para sustentar ou conter tal emoção e, se ela persistir, o músculo sofrerá um espasmo por não poder se desfazer da tensão/emoção.

A emoção é uma carga que pressiona para fora, para se libertar. A tristeza ou a dor se liberam com o choro, por exemplo. Quando sentimos tristeza e queremos chorar, mas por algum motivo não podemos expressar essa emoção, os músculos relacionados se contraem. Estes músculos estão situados na boca, na garganta, no peito e no abdome. Se a emoção contida é a ira, são os músculos das costas e dos ombros que ficam tensos. A inibição do impulso de morder, ligado à a raiva, conduz a tensões na mandíbula e a repressão do impulso de chutar provoca tensões nas pernas. Os exemplos são diversos.

A correlação entre a tensão no músculo e a inibição da emoção é tão exata que é possível afirmar quais impulsos ou sentimentos estão reprimidos em uma pessoa com o estudo das suas tensões musculares. O Balanceamento Muscular identifica essas tensões como bloqueios psicológicos que se mostram como bloqueios físicos. A energia emocional não desaparece, ela flui em nosso organismo e se manifesta de várias maneiras. O impacto de uma experiência traumática se aloja em nós de alguma forma, gerando tensões musculares e desequilíbrios químicos.

O Balanceamento Muscular acessa essas informações registradas no sistema corpo/mente. Ele detecta e corrige os bloqueios através de testes musculares para liberar a energia, fazendo com que ela volte a fluir por todas as partes do corpo, harmonizando o sistema, “ligando” os músculos e fazendo-os retomar sua função natural, balanceados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top